Após dormir com tio, adolescente de 14 anos é encontrada morta


07/10/2019

Image
Uma adolescente de 14 anos foi encontrada morta na manhã deste domingo (6). Segundo a polícia, o corpo da menina estava em uma cama onde ela havia dormido com o tio paterno, um técnico de enfermagem de 40 anos. O caso aconteceu na casa do homem localizada na rua Cunha Melo, bairro Petrópolis, Zona Sul de Manaus.

Adolescente mora com o tio desde que o pai morreu | Foto: Josemar Antunes
De acordo com a perícia, vestígios de sangue foram encontrados nas partes íntimas da adolescente. O corpo foi encaminhado para o Instituto Médico Legal (IML). A Polícia Civil solicitou urgência na realização do exame de necropsia.

Curte nossa página no Facebook e fique informado!

O tio da garota foi conduzido para Delegacia Especializada em Homicídios e Sequestros (DEHS), onde prestou esclarecimentos.

“Ele informou que ontem [sábado] saiu com a sobrinha e a filha de 17 anos a um shopping e depois lancharam no bairro do Petrópolis. Por volta das 23h, ele deixou a filha na casa da mãe dela e seguiu para a casa dele com a menina. Os dois dormiram na mesma casa e hoje ele acordou e disse que chamou a sobrinha, mas ela não respondia”, explicou o delegado.

Ainda segundo o plantonista da DEHS, o técnico de enfermagem verificou que a sobrinha estava sem sinais vitais e tentou fazer massagem cardíaca para reanimá-la, mas o procedimento não teve resultado.

“Ele percebeu que a menina tinha entrado em óbito e acionou o Samu, que constatou a morte da adolescente”, disse o delegado.

O suspeito alega que a menina não tinha nenhuma patologia, mas que havia percebido que tinha algo errado com a sobrinha pois ela não interagiu no último passeio. “Ele contou que a menina estava introspectiva e ficava muito calada”, relatou Pinho.

A filha do técnico de enfermagem e prima da vítima confirmou na DEHS que a adolescente apresentou um comportamento estranho na noite de sábado. A adolescente de 17 anos justificou, ainda, que a vítima era muito próxima do tio. “Desde quando o pai dela morreu, em 2009, a nossa família manteve o vínculo. Era comum ela dormir com ele, ela a chamava de pai”, disse a prima.

O delegado Dênis Pinho, ressaltou que é cedo para apontar se houve algum crime. “O sangue encontrado nas partes íntimas da vítima também pode estar relacionado com o período fértil dela. Vamos aguardar o resultado do laudo necroscópico para saber se houve alguma violência”.

Fonte: EM