Professor é flagrado tendo relação íntima com aluna de 16 anos dentro da escola


09/07/2018

Image
Um homem foi pego em flagrante tendo relação íntima com uma aluna de 16 anos dentro da escola. O rapaz é servidor efetivo da rede pública estadual do Mato Grosso. O caso aconteceu na Escola Estadual Ângelo Nadin, na cidade de Lucas do Rio Verde, região localizada a 336 quilômetros da capital Cuiabá.

De acordo com o diretor da unidade, o fato está sendo apurado e a denúncia vai ser encaminhada à Secretaria de Estado de Educação (Seduc). A secretaria deve tomar as medidas cabíveis após investigar o caso.

Entenda o caso


Um servidor da rede pública foi flagrado tendo relações íntimas com uma aluna de apenas 16 anos. O fato aconteceu dentro das dependências da escola. Os alunos ficaram sabendo do suposto romance entre a aluna e o funcionário e decidiram filmar o encontro do casal.

O ato foi registrado pelos alunos por uma fresta de uma das janelas onde eles haviam se escondido. O fato aconteceu no último dia 28 de junho. Após ter recebido o vídeo, a direção informou que tomou todas as medidas para que os fatos sejam apurados. Caso a denúncia do servidor envolvido seja comprovada, ele vai receber as punições cabíveis.
O servidor está sujeito as penalidades administrativas, como ser transferido para outra escola e até mesmo ser exonerado do cargo. Fernando Zílio, o diretor da unidade, disse que está muito abalado com tudo que aconteceu. Ainda de acordo com o dirigente, o conselho tutelar não foi acionado a pedido da estudante.
De acordo com a nota da Seduc, tudo indica que o servidor público era professor. No entanto, nem a idade do homem nem a quanto tempo a prática acontecia dentro da escola foi divulgado.

Veja abaixo a nota da Seduc:

“1 – A Assessoria Pedagógica do município recebeu a denúncia e esteve na unidade e se reuniu com servidores, estudante, pais e Conselho Deliberativo da Comunidade Escolar (CDCE), a fim de investigar o caso e tomar depoimentos;
2 – Toda documentação será enviada à Unidade Setorial de Correição (USC) da Seduc – setor responsável por investigação e verificação de denúncias, além de abertura de Processo Administrativo Disciplinar (PAD);
3 – No momento, o servidor se encontra em período de férias, mas será notificado e terá direito a ampla defesa das acusações;
4 – A Seduc informa ainda que, caso as suspeitas sejam confirmadas, o professor poderá ser afastado ou demitido, ficando proibido de exercer cargo público por cinco anos.”

Fonte: 1news