CEARÁ É O 2º ESTADO EM QUE MULHERES MAIS ENTREGAM FILHOS À ADOÇÃO

O Ceará é o 2º estado em que mais mulheres procuram voluntariamente a Justiça para entregar seus filhos à adoção . Os dados são do jornal F...

O Ceará é o 2º estado em que mais mulheres procuram voluntariamente a Justiça para entregar seus filhos à adoção . Os dados são do jornal Folha de São Paulo e foram divulgados nesta segunda-feira, 25. 



A estatística é referente ao período de 2017 e 2018. Em todo o Brasil, 203 mulheres procuraram voluntariamente a Justiça para entregar seus filhos à adoção. O Ceará teve 26 casos, e ficou atrás apenas do Distrito Federal, com 51 mulheres. Vinte e sete tribunais de Justiça foram consultados pela reportagem, mas apenas 11 enviaram informações. 

O levantamento é baseado no programa de entrega legal ou voluntária, previsto no Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA).

A pesquisa mostra ainda que a cada três dias, pelo menos uma mulher vai à Justiça para entregar seu filho ainda em gestação ou já nascido para adoção. 

Situações como essas começam a ganhar maior visibilidade no Judiciário brasileiro. Essa mudança é resultado da Lei 13.509/2017, que cria novas regras para acelerar adoções no Brasil e prioriza a adoção de grupos de irmãos e crianças, além de adolescentes com problemas de saúde. Ela também estabelece garantia para as mães do direito ao sigilo sobre o nascimento. O texto foi sancionado pelo presidente Michel Temer (MDB) em novembro do ano passado. 

A nova lei tem origem no Projeto de Lei da Câmara (PLC) 101/2017, aprovado no Senado por unanimidade em 25 de outubro. O texto já entrou em vigor.

O projeto sancionado altera o ECA e a Consolidação das Leis do Trabalho (CLT). O texto prevê preferência na fila de adoção para interessados em adotar grupos de irmãos ou crianças. Também passa a ter prioridade quem quiser adotar adolescentes com deficiência, doença crônica ou necessidades específicas de saúde. Essa medida foi incluída no Estatuto da Criança e do Adolescente.

Outro ponto da nova lei altera a Consolidação das Leis do Trabalho (CLT) e estende à pessoa que adotar uma criança as mesmas garantias trabalhistas dos pais sanguíneos, como licença-maternidade, estabilidade provisória após a adoção e direito de amamentação. O texto também reduz pela metade, de seis para três meses, o período máximo em que a Justiça deve reavaliar a situação da criança que estiver em abrigo, orfanato ou em acolhimento familiar.

O projeto foi relatado no Senado pela senadora Marta Suplicy (PMDB-SP), que lamentou o excesso de burocracia para a adoção.

"Essas crianças que estão nos abrigos gostariam de ter um lar, mas é tanta burocracia que elas não conseguem ser adotadas. Demora tanto tempo para chegar ao cadastro nacional que aí elas crescem e muitas famílias se desinteressam desse processo. Esse projeto foca nesse gargalo para agilizar os procedimentos relacionados à destituição do poder familiar e à adoção de crianças e adolescentes", destacou.

Vetos

Entre os quatro trechos da lei que foram vetados está o que determinava que “recém-nascidos e crianças acolhidas não procuradas por suas famílias no prazo de 30 dias” seriam cadastrados para adoção. A justificativa para o veto foi que o prazo estipulado nesse trecho é “exíguo” e cita que mães que tiverem, por exemplo, depressão pós-parto e ficarem longe do filho podem reivindicar a guarda da criança após um mês.

O presidente Temer manteve o mecanismo de apadrinhamento, que “consiste em estabelecer e proporcionar à criança e ao adolescente vínculos externos à instituição para fins de convivência familiar e comunitária e colaboração com o seu desenvolvimento”. Mas foi vetado o trecho que proibia o apadrinhamento por adultos inscritos no cadastro para adoção. De acordo com Temer, a proibição “implicaria prejuízo a crianças e adolescentes com remotas chances de adoção”, já que é esse o perfil de crianças procuradas em programas de apadrinhamento. Ele acrescentou que padrinhos e madrinhas são geralmente potenciais adotantes. 

O POVO
Entretenimento em tempo real Futebol transmissão na internet Assista ao vivo Fofocas TV famosos Vídeos virais Mulheres gatas
Nome

Bizarro,3,Brasil,259,Ceara,892,Curiosidade,1,Entretenimento,59,Futebol,6,Mundo,90,Noticias,11,Novelas,9,Policia,76,Politica,3,Regional,2109,Sem categoria,1,TV,6,Varjota,590,
ltr
item
Varjota em Destaque Notícias e Rádio Varjota, Mais Forró: CEARÁ É O 2º ESTADO EM QUE MULHERES MAIS ENTREGAM FILHOS À ADOÇÃO
CEARÁ É O 2º ESTADO EM QUE MULHERES MAIS ENTREGAM FILHOS À ADOÇÃO
https://www.opovo.com.br/noticiasimages/app/noticia_146418291334/2018/06/25/381004/adoobrasil.jpg
Varjota em Destaque Notícias e Rádio Varjota, Mais Forró
https://www.varjotaemdestaque.com/2018/06/ceara-e-o-2-estado-em-que-mulheres-mais.html
https://www.varjotaemdestaque.com/
https://www.varjotaemdestaque.com/
https://www.varjotaemdestaque.com/2018/06/ceara-e-o-2-estado-em-que-mulheres-mais.html
true
1155359983811472067
UTF-8
Todas as postagens carregadas Não foram encontradas postagens VER TUDO Continue lendo Resposta Cancelar resposta Delete Por Início PÁGINAS POSTAGENS Ver tudo RECOMENDADO PARA VOCÊ RÓTULO ARQUIVO PROCURAR TODAS AS PUBLICAÇÕES Não foi encontrada nenhuma correspondência de postagem com sua solicitação Voltar ao início do portal Domingo Segunda-feira Terça-feira Quarta-feira Quinta-feira Sexta-feira Sábado Dom Seg Ter Qua Qui Sex Sáb Janeiro Fevereiro Março Abril Maio Junho Julho Agosto Setembro Outubro Novembro Dezembro Jan Fev Mar Abr Mai Jun Jul Ago Set Out Nov Dez Agora mesmo 1 minuto atrás $$1$$ minutos atrás 1 hora atrás $$1$$ horas atrás Ontem $$1$$ dias atrás $$1$$ semanas atrás mais de 5 semanas atrás Seguidores Segue ESTE CONTEÚDO PREMIUM ESTÁ BLOQUEADO PASSO 1: Compartilhe. PASSO 2: clique no link que você compartilhou para desbloquear Copiar todo o código Selecionar todo o código Todos os códigos foram copiados para a área de transferência Não é possível copiar os códigos / textos, pressione [CTRL] + [C] (ou CMD + C com Mac) para copiar