Caminhoneiro é degolado em briga por causa de tarifa

TV VARJOTA EM DESTAQUE - AO VIVO

Caminhoneiro é degolado em briga por causa de tarifa

Ataque a facadas ocorreu em travessia em Porto Velho, Rondônia
Uma discussão pode ter sido o motivo para um homem acabar com uma vida de outro em questão de segundos.


 A vítima, um homem de 47 anos, identificado como Celso Ferreira, teria discutido com uma funcionária da balsa que faz a travessia de carros no trecho de rio que corta a BR-364, em Porto Velho, em Rondônia, na divisa com o estado do Acre.

As primeiras informações são de que a reclamação sobre o valor da tarifa teria sido o estopim para um assassinato a facadas, no último domingo (3).

Celso Ferreira, que é caminhoneiro, teria discutido com uma atendente que faz a cobrança das passagens da travessia. Apenas alguns minutos depois do bate boca, o acusado, apontado como marido da funcionária, invadiu a embarcação e de posse de uma faca desferiu vários golpes na vítima. No fim, ainda teria degolado o caminhoneiro, que ficou estendido no chão da balsa.

No momento do ataque, as pessoas que estavam no local entraram em pânico e muitas começaram a correr.

A ocorrência foi registrada na travessia no distrito de Abunã, em Porto Velho. Testemunhas chegaram a gravar vídeos mostrando a cena após o crime, com o caminhoneiro já sem vida.

“Galera ajuda a espalhar para ver se encontra a família. Um motorista de carreta, puxador de geladeira, lá de Joinville. O cara tá morto. Discutiu com a mulher do ticket do Rio Madeira. Xingou a mulher do balseiro lá e o cara veio e matou ele na nossa frente aqui”.

As autoridades informaram que uma viatura do Instituto Médico Legal (IML) fez todos os exames periciais na capital de Rondônia. Depois dos procedimentos de praxe, o corpo foi levado para a cidade de Guaratuba, no Paraná, onde morava o caminhoneiro. No total, ele levou 10 facadas, além do golpe que o degolou.

O motorista era contratado de uma empresa de transportes com sede em Santa Catarina. O homicídio ocorreu por volta das 6h30 da manhã.

Até o momento, o responsável pela morte ainda não foi preso. De acordo com a Polícia Civil, uma guarnição fez buscas intensas para tentar localizar o paradeiro do acusado do crime, mas não houve êxito ainda. Os nomes do suspeito e da esposa dele não foram revelados.

A balsa serve para motoristas cruzarem o rio Madeira, podendo assim sair ou entrar no estado do Acre. O local já foi alvo de muitas reclamações de falta de segurança e policiamento.

news365

Compartilhe:

Disqus Comments